Batalhas Netflix: A inconsistência de Amalie (com nomes das músicas)

batalhas netflix filme danca hip-hop inconsistencia amalie mikael capas

O filme Netflix Batalhas mal foi lançado e já tem muita gente falando a respeito. O longa traz uma emocionante história envolvendo dança de hip-hop, e para aqueles que gostam daqueles clipes coreografados (eu! ?) certamente vão amar algumas cenas do filme Netflix Batalhas.

Já vou avisando de antemão que, se você ainda não assistiu é melhor ler a resenha sem spoiler do filme Batalhas. Mas, se você já viu até o fim, siga em frente sem receios! ?

As mentiras de Amalie

É normal que todos os personagens, principalmente protagonistas – como é o caso de Amalie –, tenham traços problemáticos, características que precisem ser corrigidas (ou não), e coisas do tipo.

Isso não só é comum, como necessário para que um personagem tenha a “cola” necessária para criar empatia com quem está assistindo. Como é de se imaginar, se estes personagens fossem todos certinhos nada teria graça, e talvez nem houvesse história para contar.

Mas algo me incomodou enquanto eu assistia o longa Batalhas. Explicarei.

batalhas netflix filme danca hip-hop inconsistencia amalia mikael battleNo início fomos apresentados a Amalie como uma garota rica, acostumada a uma vida de alto padrão e festas luxuosas com amigos também ricos. Toda essa ambientação serve para que nós criemos uma espécie de pré-julgamento para com relação à personagem (é proposital, e os roteiristas fazem isso conscientemente). Nós vamos naturalmente nutrir certas expectativas com relação à ela, o que nos faz “prever” algumas coisas.

Apesar da vida de alto padrão a que ela estava acostumada, a adaptação dela à pobreza foi relativamente rápida. Houve, sim, uma rejeição à nova moradia no início, mas ela contornou tudo muito bem, sem maiores problemas. Então, toda aquela construção da “patricinha fresca” que mostraram no início não deu tanto segmento aqui, quebrando expectativas de ver uma garota cheia de “mimimi” se estrepando em situações banais. Até aqui, tudo bem. Vemos como Amalie é uma personagem forte e com boas tendências para abraçar o outro caminho (o do Hip-Hop), o que é legal.

Mas então, começaram as mentiras…

A motivação para um comportamento ruim

Quem lê muito, ou vê muitos filmes e séries já percebeu que, para todos os comportamentos ruins e duvidosos de um personagem existe uma explicação. Uma motivação. Em outras palavras, um personagem só age de uma determinada maneira porque algo aconteceu para que ele fosse assim.

E agora volto ao filme Batalhas Netflix, com Amalie. Logo no início, quando ela e o pai são retirados da casa por conta da falência, ela decide esconder tanto das amigas quanto do namorado. Isso demonstrou claramente que ela tem vergonha daquela posição em que foi atirada, o que reforça em partes a construção de “patricinha fresca” do início. E, lembra que falei que ela conseguiu lidar bem com a mudança? Então… O fato de ela esconder isso dos amigos entra em choque com essa força mostrada na adaptação.

batalhas netflix filme danca hip-hop inconsistencia amalia mikael 02O maior incômodo que notei no filme Batalhas é que ela não tinha uma motivação forte o bastante para ocultar a real situação. Em meio à vida de luxo, pudemos notar que ela tinha ótimos amigos, e mesmo Charlotte, sua rival no balé, era uma pessoa à altura: não foi aquele tipo de inimiga malvadinha que quer passar a perna e sabotar o sucesso da protagonista. Tudo o que Charlotte queria era saber como Amalie tinha ficado tão boa de repente (nada mais justo). Tudo bem que ela se sentia superior e ficou com inveja, mas Charlotte não agiu de má fé em momento algum (ficar bêbada numa festa e exigir satisfações não conta como “agir de má fé”).

Agora, quanto aos amigos de Amalie (as garotas do balé, o namorado e os outros rapazes): todos eles foram construídos de forma que o público compreendesse que são boas pessoas, e que provavelmente apoiariam Amalie no que fosse preciso.

Onde eu quero chegar com todo esse papo? É que, se Amalie tivesse contado a eles desde o início, ninguém a teria repelido, nem tratado mal, porque não foi esse perfil que foi mostrado no início, quando vimos os amigos dela.

Tá, Lyan… Mas aí não teria história pra contar… Dãã

É verdade. E não estou dizendo que ela deveria ter aberto o jogo desde o início… Não é isso. O que estou tentando mostrar é que a roteirista do filme Batalhas, Maja Lunde, não deu para Amalie uma motivação forte o bastante para que essa onda de mentiras fosse facilmente aceita. Não sei quanto a você, mas eu me irritei com ela em diversas cenas, e isso porque a motivação para as escolhas estava fraca.

Não importa se as escolhas do personagem são certas ou erradas. O que conta é se essas escolhas têm força para levar o público a uma rápida identificação.

Um simples exemplo é Lord Voldemort (uau, viajei longe, agora): nos foi mostrada uma motivação forte o bastante para tudo o que aconteceu ao longo da saga de Harry Potter. Foi uma ferida emocional que deu sentido a todas as maldades dele. Não nos faz concordar com seus atos, mas certamente nos faz compreender sem questionamentos.

O fechamento das pontas do filme Batalhas

A intenção do início de um filme, série ou livro é mostrar ao expectador a realidade do personagem (tem a ver com a Jornada do Herói, mas não somente isso). Ou seja, são nos primeiros minutos ou nas primeiras páginas que passamos a conhecer os objetivos, dificuldades e dores do protagonista para que possamos pegar na mão dele e seguir a jornada da história até o fim.

batalhas netflix filme danca hip-hop inconsistencia amalia mikael 03Se os amigos de Amalie tivessem sido melhor trabalhados por Maja Lunde, talvez a motivação para a mentira de Amalie fosse mais aceitável. E não precisaria muito para que esse efeito fosse alcançado: eles poderiam ter sido apresentados como exigentes quanto a marcas, ou talvez poderia haver uma cena em que eles criticam alguém por um motivo que fizesse Amalie desenvolver um medo natural do julgamento deles.

Isso já bastaria para dar uma motivação para a mentira… O problema é que isso veio de graça.

Uma segunda questão que me deixou com sensação de algo em aberto foi o namorado de Amalie não ter um acompanhamento (mesmo sendo um cara legal, ele foi traído, abandonado, e ficou por isso mesmo). E tem também o pequeno detalhe do pai de Amalie que, apesar de ter mostrado nuances de que ele resolveria o problema financeiro, não chegou de fato a fechar essa ponta.

No geral, essas coisas deixaram o filme Netflix Batalhas com um certo ar de que faltou alguma coisa.

Apesar de tudo, o filme Batalhas é emocionante

Sei que estou parecendo uma pessoa chata ao falar daqueles detalhes, mas a verdade é que gostei bastante do filme.

O romance mostrado em Batalhas Netflix aconteceu de forma agradável e gradativa, e eu realmente torci para que eles ficassem juntos. A onda de mentiras de Amalie, no fim das contas, levou-a a um tropeço que a fez aprender uma lição sobre ser ela mesma, sem mentir para agradar aos outros.

Quando ela disse, ao final, que “aquilo (o balé) não era para ela” foi o momento em que percebemos que Amalie de fato não era mais a mesma pessoa. Aquele sonho de passar no teste era de Charlotte, não de Amalie.

E o que se seguiu depois foi realmente emocionante…

batalhas netflix filme danca hip-hop classe social mentiras amalia mikael 01

Batalhas musicais: o desafio final

Quando Amalie pisa na arena de batalhas de dança hip-hop pela segunda vez, ela já é outra pessoa. Não só se encontrou na dança (deixando de ser vazia e encontrando propósito e paixão na arte) como também entendeu que era aquele estilo que a fazia ser quem ela realmente era. Diferente daquela Amalie acuada do início, que copiou os passos de dança do garoto, essa nova estava lá para bater no peito e mostrar a quê veio.

E, como tudo no mundo da ficção acontece de forma miraculosamente orquestrada (outro ponto que poderia ter recebido certa atenção), os sorteados para a batalha de dança da vez foi por acaso Amalie contra seu novo (e super charmoso) namorado, Mikael.

A recusa inicial para dançar contra ela criou em nós, espectadores, a tensão necessária para o que viria a seguir: uma DR (discussão de relacionamento) apenas com gestos, sem diálogos nem gritarias novelescas.

Tenho certeza de que você se arrepiou nessa cena, porque foi de fato lindo.

A batalha entre Amalie e Mikael

Se você é uma pessoa sensível para significados, deve ter notado as palavras intrínsecas emanando da coreografia, e isso foi realmente maravilhoso.

Quando tudo começou, ambos estavam inflamados, irritados, e Mikael sequer conseguia olhar para ela sem querer mandá-la à merda (ele não perdeu essa oportunidade na hora do jankenpon). E o mesmo vale para Amalie, que estava ainda baqueada pela humilhação merecida que sofreu por ele na festa.

Por conta desse sentimento, ela deu abertura à batalha com uma coreografia ofensiva. Se fôssemos traduzir os passos dela em palavras, creio que poderia soar mais ou menos como: “Olha eu aqui, me enfrenta, eu não sou mais aquela garota do início”. A resposta dele veio no mesmo tom, com uma coreografia energética de tirar o fôlego (Fabian Svegaard Tapia manda muito bem).

Foi quando a amiga de Amalie deu a sugestão para que ela mostrasse para ele o que sente através da dança. E a música se torna lenta e romântica (mais abaixo passo os nomes de algumas). Amalie inicia a nova coreografia com uma intensidade diferente. Os movimentos claramente expressam arrependimento, e pedido de perdão. A expressão de Mikael durante essa performance dela é o que completa o tom de um diálogo mudo. Ele se emociona, e sente o que ela está dizendo.

Quando vem a rodada de Mikael, seus movimentos também deixam de ser de desafio, e passam a demonstrar claramente dor e tristeza. Peito partido (a letra da música ajuda bastante: “Ringing in my head, when you broke my chest…“).

E nós ficamos com o coração na mão, junto com os jurados que votam num empate para que a batalha do casal continue. Dessa vez, Amalie muda a postura e não mostra mais passos de pedido de perdão, mas sim uma demonstração, através de seus movimentos, sobre eles dois. Sobre o que eles viveram, os momentos compartilhados e bons.

Por fim, a batalha deixa de existir e eles passam a dançar juntos, surpreendendo a todos no salão e a nós espectadores, também. Isso foi a síntese de um relacionamento, e tudo resumido em passos de dança.

Apesar daqueles incômodos que citei, certamente este final funcionou para sobrepor a parte negativa e fazer com que o filme Netflix Batalhas ganhe um lugar em nosso corações.

Musicas do filme batalhas Netflix

Caso você queira conhecer todas as músicas do filme Batalhas Netflix, recomendo que veja o álbum de soundtrack no Spotify.

Mas me dei ao trabalho de procurar algumas das que eu mais gostei, e quero compartilhar com vocês porque são excelentes ❤ ?

E você? Conte nos comentários mais abaixo o que achou do filme Batalhas Netflix, e quais foram os pontos fortes e fracos em sua opinião.

E aproveite para conhecer meu site e ler os livros Boys Love/Yaoi que escrevo. São perfeitos para quem gosta de romance sem preconceitos.

Conheça o conceito da Suspensão de Descrença, e entenda o que faz você acreditar em histórias fictícias!

Batalhas Netflix: A inconsistência de Amalie (com nomes das músicas)

O filme Batalhas Netflix tem grandes emoções nas cenas de dança, mas existe um pequeno problema (ou melhor, inconsistência). Será que você também sentiu?

Editor's Rating:
4

Mais Artigos

Sobre o Autor

Lyan K. Levian é contista e romancista de histórias homoafetivas e homoeróticas, principalmente com foco no público que se denomina "fujoshi" e "fudanshi" (fãs de yaoi/boys love). Conheça os trabalhos de Lyan: www.lyanklevian.com

27 thoughts on “Batalhas Netflix: A inconsistência de Amalie (com nomes das músicas)

  1. Oi simplesmente amei o filme e sua resenha foi a de longe a melhor, acrescentaria apenas que ele fosse assistido no idioma original, com legendas pois não falo norueguês (rs) a interpretação é simplesmente fantástica. Abraços fraternos.

  2. Oi, amei o filme, só que o final ficou a desejar, não intendi a parte final do pai dela, quem foi que ligou pra ele? Nao conseguir identificar o que ele estava procurando na net, estava tão empolgado com o lindo do mikael que me perdi do pai.kkk
    Alguem sabe me explicar pls? Bjo

    1. Depois que assisti de novo percebi que foi a amiga da Amalie (Ida) que ligou para ele, certamente para saber o paradeiro da amiga. Creio que o pai estava procurando emprego

      1. Sim, foi ela que ligou. Foi assim que ela soube onde ir (para ver a batalha final entre o casal).

        Realmente, essa parte ficou meio estranha. Deu uma sensação de mistério quando o pai disse “Ida?” de uma forma tão preocupada. Como se algo ruim tivesse acontecido, sei lá.

        Mas, no fim as amigas se encontraram 🙂 E, apesar de não ter mostrado que fim deu na questão do trabalho do pai de Amalie, gosto de imaginar que ele acabou resolvendo o problema ^_^

  3. Eu amei o filme!
    E concordo com a suas criticas… Eu acho também que deveria ter tido mais uns 5 mins de filme após a batalha final, pra mim faltou algo!
    Nossa, mas que final!! <3

  4. Estou simplesmente apaixonada pelo filme e pelo Mikael, rs. Concordo com suas colocação, poderiam explorar mais, quem sabe façam um segundo filme.

  5. Caramba, que resenha boa! Realmente concordei com tudo o que você disse, seu ponto de vista foi tão bem explicado, gostei muito! Parabéns, sucesso sempre!

  6. Oi, gostei bastante das questões que apontou, onde para você fico horas um pouco vazio de motivação. Que são as mentiras de Amalie e a posição do namorado similar a posição do pai dela. A questão das mentiras, ao meu ver é a fuga dela de lidar de fato com o problema assim como a adaptação rápida ao novinha estilo de vida através de Michael. A real motivação disso é a fuga do problema ao meu ver. Quanto a posição do namorado e do pai, não sei se você acompanha bastante filmes nórdicos, mas é uma característica bem comum deles: a pouca fala, uma pausa longa nas falas e as hesitações e uma coisa que destaca bastante o protagonista em determinados momentos como o brinco de Amalia. Como também penso que é da cultura, não se exaltar. Então, não teria como, ao meu ver, a posição do namorado e do pai serem diferentes. Quanto aos amigo não ficou claro pra mim que eles apoiariam ela. Ainda mais num ambiente competitivo que é a dança.
    É um dos filmes de dança que um mais gostei. Agradeço por compartilhar sua crítica conosco e sobretudo por disponibilizar as musicas do filme.

  7. Adorei a sua crítica Lyan. Muitos parabéns!
    Concordo com o problema da falta de desenvolvimento para a motivação da Amalie e irritei-me com ela muitas vezes por ser tão parva, também acho que os amigos e namortado dela eram capazes de ser minimamente compreensivos em relação à situação.
    O Mikael é perfeito, quem em sã consciência iria hesitar em ficar com ele? E a batalha final entre os dois foi uma das cenas mais intensas que já vi num filme, o modo como eles conseguiram expressar os seus sentimentos através da dança e sem palavras foi perfeito, ainda me arrepio só de lembrar.

  8. tinha gostado do plot do filme,mas também terminei com sensação de pontas soltas. Achei legal que a protagonista conseguiu fazer as pazes com os dois amores que descobriu: a street dance e o namorado da periferia,mas achei que todo o entorno dela ficou muito vago, também não entendi quem ligou para o pai dela, fiquei sem saber se eles se resolveram, senti falta de entender melhor sobre a história dos amigos, do pai, etc. Acho que no fim só valeu a cena da dança mesmo, o filme como história ficou muito solto, daria mais certo se fosse um documentário sobre dança do que uma história,por que ficou muito mal construído e amarrado.

  9. Eu adorei o filme e concordo com vários tópicos, principalmente o do ex namorado, ficou muito vago…. Gostaria de saber se tem mais alguma recomendação de filmes semelhantes a “batalhas”.
    Obrigada desde já

  10. Oi, sua resenha foi ótima..o filme em si gostei bastante, mas confesso que tinha momentos que eu ficava louca com aquela guria…enfim ele aborda as diferencias de classes sociais e nisso da pra refletir bastante.

  11. Olá Lyan! Acabei de assistir o filme Batalhas Netflix. Gostei muito. Vim aqui procurar as músicas (amo Hip-hop) e tive a sorte de encontrar de cara este site. Eu concordo com a maioria das coisas que você citou. Interpretei da mesma maneira. Você escreve muito bem. Admiro bastante este dom! Enfim. Te agradeço rs

  12. Vixee… Só agora me interessei em assistir o filme e confesso que amei. Filmes estrangeiros tem dessas, ser resumidos e deixar a gente pensar, mas concordo com você. Não vi maldade nos amigos dela, nem da Charlotte, mas acredito que o orgulho a tenha traído e claro, uma jovem na idade dela, é bem natural sentir vergonha, confusão, principalmente ela que respirava ser a número um do grupo, por não ter certo até o momento de encarar os 3 que ela machucou diante de todos, o real sentimento do que valia de verdade. A dança realmente foi maravilhosa, entendi como você disse sem gritos e falas tudo que ambos queriam dizer sem eu nem saber técnica alguma de dança. Foi incrível. Essa falta de explicação da vida do pai, nos deixa com expectativas de um batalhas 2. kkkk No clipe tem uma cena continuando o primeiro beijo dos dois que não tem no filme. Uma pena que cortaram, explicaria mais ainda a paixão e raiva do Mikael.

  13. achei o filme muto emocionante, nas cenas entre amalia e mikael faltou algo a deseja. amei o filme e o final então me apaixonei.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.