Longas e Curta-metragens

Castlevania Netflix: Crítica da 2ª temporada do anime de Dark Fantasy

A primeira temporada de Castlevania chegou meio de surpresa no catálogo da Netflix, no ano passado (assista aqui). Apenas quem acompanhava assiduamente as notícias que saem da plataforma de streaming sabia que ela estava chegando, mas boa parte das pessoas se surpreendeu.

E ao assistirem a temporada completa, a surpresa foi ainda maior: uma animação de boa qualidade, com um trabalho de voz impecável tanto na versão original quanto na versão dublada em português.

Portanto, a expectativa para a segunda temporada era gigante. Para quem não se lembra, Castlevania foi um jogo para videogame muito famoso desde a década de 80, disponível em várias plataformas. Então é de se imaginar que várias gerações esperassem por uma adaptação digna para os meios audiovisuais e, quando finalmente isso acontece, a continuidade da qualidade passa a ser obrigatória.

Felizmente, a Netflix não decepcionou nessa segunda temporada, dando continuidade a sangrenta história de vampiros com louvor.

Uma relação tempestuosa

A segunda temporada do anime Netflix Castlevania foca na relação tempestuosa entre Trevor Belmont e Adrian Tepes, respectivamente, um caçador de monstros e o filho de Drácula também conhecido como Alucard. O gancho deixado pelo último episódio da temporada anterior é desenvolvido sem pressa nessa nova leva de capítulos, nos dando ação sangrenta e um aumento de pressão na relação desses dois homens até o inevitável confronto.

É também nessa temporada que algumas boas surpresas aparecem. Uma delas, por exemplo, é a aparição de Hector, um personagem de um dos jogos clássicos de Castlevania, chamado Curse of Darkness. Como se trata de uma série de jogos bastante longeva, é natural que na produção da animação apareçam alguns personagens de cada uma dessas histórias, que foram produzidas pela Konami desde 1986. Além do mais, a qualidade da animação em si também melhorou muito em comparação com a primeira temporada. Não que ela fosse ruim, mas ficava bastante visível se tratar de uma espécie de teste de audiência: se vingasse, seria melhorada. E foi o que aconteceu.

Além disso, o trabalho de vozes em Castlevania continua espetacular. O elenco foi muito bem escolhido para dar vida a esses personagens clássicos, que tanto fizeram a cabeça de qualquer pessoa que tenha tido um videogame nos últimos 30 anos. Em especial destaque está Richard Armitage, que faz a voz de Trevor Belmont. Com um timbre gutural e que passa uma sensação de emergência e perigo, Armitage capricha na caracterização, entregando um sujeito complexo e cujos poucos momentos de hesitação ficam latentes em sua voz.

Um produto precioso

A segunda temporada de Castlevania, portanto, tem tudo para se tornar mais um grande sucesso na Netflix. Ao aprofundar-se nas relações entre os personagens principais, a série vai tomando rumos até então inesperados e cada vez mais tensos, deixando quem está assistindo com a mesma sensação.

Apesar de, no meio da temporada, haver uma espécie de “filler” tão comum em produções da Netflix (quando a história parece não sair do lugar), o seu terço final é fenomenal e compensa essa falha.

É possível dizer então que Castlevania é um produto precioso no catálogo, uma joia a ser descoberta. Quem gosta de animes que fogem do esquema “fofinho” que está tão em voga, e curte coisas mais densas, essa produção é a melhor pedida.

Você também pode gostar de Sirius The JaegerDakaichi (um anime yaoi), Rilakkuma e Kaoru, Children of The Whales (também conhecido como Kujira no Kora ou Filhos das baleias)B: The Beginning e Ajin – Demi Human.

Trailer, galeria e informações do anime Netflix Castlevania

Sinopse 1: Trevor Belmont não é mais a mesma pessoa, mas só ele pode impedir a fúria de Drácula contra a humanidade.

Sinopse 2: Um caçador de vampiros luta para salvar uma cidade sitiada por um exército de criaturas controladas pelo próprio Drácula. Inspirado no clássico videogame.

Idioma: dublado (com áudio original em inglês, e legendas em português);

Classificação etária: 16 anos;

Ano de lançamento: 2017;

Gênero: Fantasia, Suspense, Ação;

Compartilhe
Convidado

Este é um artigo enviado por um convidado do site.

Ver comentarios

  • Acabei de assistir a segunda temporada de Castlevania. Gostei, mas de algum modo senti que a história poderia ter sido melhor desenvolvida, ou talvez esteja a ser injusta com os produtores que certamente pretendem desenvolver melhor a história nas temporadas futuras. A questão é que, a minha personagem favorita da série, o senhor Drácula, entregou as armas facilmente e não consigo me conformar com isso, espero que haja algo que esteja a escapar à minha compreensão (eu não conheço os jogos, por isso estou em branco). Aguardarei a terceira temporada da série para uma melhor análise da história.

Publicado Por