Curiosidades sobre Tales of The Night

Hoje assisti na Netflix, pela primeira vez, a animação “Tales of the Night” ou, no original francês, “Les contes de la nuit”, do diretor Michael Ocelot. Já tinha há um bom tempo colocado-o em minha lista porque as imagens de prévia da Netflix me chamaram MUITO a atenção.

Explico. A animação (formado por seis historinhas diferentes) é inteiramente criada com silhuetas! E para quem não sabe, eu costumo desenhar muito desta maneira (confira aqui), então foi uma bomba de inspiração. Iniciei neste estilo quando joguei LIMBO (lançado em 2010) pela primeira vez, e rapidamente fiquei encantada pelas imagens formadas em várias camadas, utlizando-se dos tons de cinza para criar o efeito final.

Pensei inicialmente que a animação de Michael Ocelot teria sido, de alguma forma, baseada no jogo que citei. Mas uma pesquisa mais detalhada me mostrou que as animações com silhuetas são bem mais antigas. Uma das pioneiras em animação deste tipo foi a alemã Charlotte Reiniger, mais conhecida como “Lotte Reiniger”, e seus trabalhos datam principalmente dos anos 50, uau! Veja abaixo uma destas animações de Lotte, chamada “The Magic Horse” (audio em inglês):

Teatro de Sombras
Teatro de Sombras

Mas mesmo Lotte (e outros nesta mesma época) tiveram sua inspiração em algo ainda mais antigo e, digamos, “original”: os teatros de sombras! Antigamente eles eram mais comuns do que hoje em dia, e apresentavam-se tanto com as mãos, com recortes presos em varas (vide imagem ao lado), ou com atores por trás de um pano branco. Na atualidade, além do citado LIMBO, outro jogo muito popular também teve algumas fases com silhuetas: Donkey Kong Country Returns.

Jogo LIMBO
Jogo LIMBO
Jogo LIMBO
Jogo LIMBO
Donkey Kong Country Returns, fase das silhuetas
Donkey Kong Country Returns, fase das silhuetas
Jogo Donkey Kong Country Returns, fase das silhuetas
Jogo Donkey Kong Country Returns, fase das silhuetas

Michael Ocelot não apenas dirigiu Tales of the Night, mas também fez seu storyboard e script. Originalmente, foram feitos dez episódios para o Canal+, que é um canal prêmium de tv à cabo da França, sob o nome de “Dragons and Princesses”. Cinco destes episódios foram editados e somados a um sexto exclusivo (o último) para o lançamento do DVD de compilados que vemos hoje no Netflix. E no DVD original as imagens são estereoscópicas, ou seja, feitos para serem assistidos com um óculos 3D! Tudo isso levou-o a competir pelo Urso de Ouro no 61º Berlinale (2011) antes de seu lançamento oficial.

Tales of The Nights - O Lobisomem
Tales of The Nights – O Lobisomem
Tales of The Nights - O Lobisomem
Tales of The Nights – O Lobisomem
Tales of The Nights - Um dos três personagens, que faz o papel dos "mocinhos" das histórias
Tales of The Nights – Um dos três personagens, que faz o papel dos “mocinhos” das histórias

Em cada uma das histórias existem três personagens que estão num antigo teatro – um garoto, uma garota, e um senhor. Como numa espécie de brincadeira eles escolhem um lugar, época e personagens que irão interpretar. O técnico principal (que é o homem mais velho) mostra imagens e pinturas reais relacionados à escolha deles, e faz rápidos comentários à respeito – o que nos é muito favorável culturalmente.

Quanto às histórias em si, são lindas e de muito bom gosto. Por terem sido baseadas em contos de fadas de todo o mundo, são bem variadas em estilo. Umas mais divertidas e leves, e outras com aquele toque triste que nos faz refletir.

Acesse agora sua conta do Netflix e confira: Tales of the Night!

Mais Artigos

Sobre o Autor

Escritora, redatora e ilustradora autodidata, Nantai procura reavivar a centelha de magia que todos temos. Gosta de montanhas, gatos, e de escrever ao som da chuva. Gosta de falar sobre fantasia e ficção científica, e colabora neste blog com um pouquinho de tudo. www.bcrausnantai.com

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.