Entretenimento

Emicida: AmarElo É Tudo Pra Ontem – Documentário Netflix 2020

Emicida: AmarElo É Tudo Pra Ontem é menos um documentário sobre o artista, considerado um dos maiores rappers brasileiros na atualidade, e mais sobre a história da consciência negra, no Brasil e no mundo. A ideia de fazer um filme sobre seu recente trabalho, “AmarElo”, acabou se tornando uma coisa muito maior, mais completa e que se torna, conforme avança, uma verdadeira aula de história, necessária e impactante (assista aqui).

A decisão de abrir mão de mostrar seu processo criativo para criar “AmarElo” para contemplar uma narrativa muito maior e muito anterior do que a si mesmo, Leandro Roque de Oliveira, mais conhecido como Emicida, mostra que tem uma enorme consciência de que deve sua própria história a artistas que vieram antes dele, e de certa forma abriram o caminho para que ele pudesse trilhar sua própria jornada hoje em dia. É um trabalho diferente, impressionante e, por muitas vezes, sublime.

Sobre o documentário Netflix Emicida: AmarElo É Tudo Pra Ontem

Logo que Emicida: AmarElo É Tudo Pra Ontem começa, uma citação iorubá é feita – e explica bem o sentimento que o rapper quer passar com esse trabalho.

“Exu matou um pássaro ontem com uma pedra que só jogou hoje”

É o que diz ele nos primeiros minutos do documentário. Essa é a senha para entender a produção Netflix: esse ditado mostra que Emicida está com os olhos no passado para explicar o presente. Com isso, quem sabe, ele possa ajudar a moldar o futuro.

Evidentemente, o documentário Emicida: AmarElo É Tudo Pra Ontem não deixa de falar do álbum que originou o documentário. No entanto, traz de forma mais clara a sua construção, deixando evidente que o rapper bebeu das fontes de movimentos culturais diversos e que tiveram enorme importância para o empoderamento negro no Brasil, um país que até hoje é assolado por problemas relacionados ao racismo.

Com isso, acompanhamos a construção das músicas com os artistas convidados por Emicida para figurar em algumas canções. Fabiana Cozza, Zeca Pagodinho e até Fernanda Montenegro aparecem para ajudar o rapper a montar seu mosaico de referências, sempre com um talento único e que justifica a fama que ele possui hoje na música popular brasileira. Além disso, Emicida: AmarElo É Tudo Pra Ontem também intercala algumas imagens do show, realizado no ano passado, no Theatro Municipal de São Paulo – um marco na carreira de Emicida.

Emicida: AmarElo É Tudo Pra Ontem é história brasileira

Para além do presente, o documentário Netflix Emicida: AmarElo É Tudo Pra Ontem aponta seus olhos para o passado: a importância de nomes como Lélia Gonzalez e Abdias do Nascimento, grandes ativistas do movimento negro brasileiro, é ressaltada o tempo todo. Da mesma forma, o parceiro musical de Emicida e responsável pelos arranjos do álbum, Wilson das Neves, também ganha sua merecida importância no documentário, mostrando inclusive como os dois artistas se inspiraram para criar as músicas que figuram no álbum e são desfiladas, uma a uma, nesta produção Netflix.

Dirigido por Fred Ouro Preto, Emicida: AmarElo É Tudo Pra Ontem também tem uma linguagem bem didática a respeito dos temas que o rapper pretende passar com sua música. O filme remonta o passado vergonhoso do Brasil em relação aos negros, desde a escravidão até os dias de hoje, em que o racismo vigora – principalmente em tempos tão nebulosos politicamente como os que vivemos. Dividido em três atos, o filme nos mostra temas importantes que, muitas vezes, nos esquecemos e para os quais deveríamos, como sociedade, prestar mais atenção.

Dessa forma, Emicida: AmarElo É Tudo Pra Ontem é um filme obrigatório não só para fãs de Emicida, mas também para qualquer pessoa que deseje a construção de um país melhor do que este em que vivemos atualmente: lembrando do passado para evitar cometer os mesmos erros, e usar a empatia e o amor para construir uma nova estrada para o futuro, bem mais feliz e justo do que esse.

Sinopse e Ficha Técnica do documentário Emicida: AmarElo É Tudo Pra Ontem

Lançamento Netflix: 08 de dezembro de 2020;

Sinopse Netflix: Nos bastidores do show no Theatro Municipal de São Paulo, o rapper e ativista Emicida celebra o grande legado da cultura negra brasileira.

Duração: 1h29;

País de Origem: Brasil;

Classificação etária: 12 anos;

Gênero: Documentário histórico brasileiro, Show musical, Conscientizador.

Você também poderá se interessar por A Desordem que Ficou, Alice in Borderland, A Incrível História da Ilha das Rosas, Quarto 2806 A Acusação, As 9 Vidas de Leyla e Detention.

Compartilhe
Luiz Henrique Oliveira

Nascido em 1986, editor-chefe no Cenapop, colunista no Interprete.Me, redator no UOL e youtuber no Cinco Tons.