Longas e Curta-metragens

Luke Cage Netflix: Crítica da segunda temporada (com Trailer Dublado)

Quando a primeira temporada de Luke Cage Netflix foi lançada (veja aqui), muita gente reclamou que a série era um tanto quanto confusa e que parecia ser na verdade duas: uma com um teor sério (mais voltado para a adaptação audiovisual), e a outra mais cartunesca, onde tudo lembrava uma HQ.

Essas críticas são justas, pois a série realmente tinha esses problemas. Na segunda parte da aventura solo desse companheiro de Jessica Jones, depois de certamente ter ouvido as críticas por boa parte da internet, os responsáveis resolveram agir e deram um melhor norte para as aventuras de Cage.

Dito isso, é um alívio que essa segunda temporada seja bem melhor que a anterior. Entretanto, isso não a livra de certos vícios que foram constatados anteriormente, e que com certeza são percebidas pelas pessoas que prestam um pouquinho mais de atenção. Por isso, a série Netflix Luke Cage, em sua segunda temporada, deixa a sensação de que algo está faltando – e que poderia ter sido melhor.

Inadequação de Luke Cage Netflix

O grande problema dessa temporada de Luke Cage talvez seja o fato de que o protagonista, interpretado por Mike Colter, ainda soa forçado e exagerado. Claramente ele não é adequado para o papel, pois todas as suas falas parecem excessivamente decoradas e ele não tem um jogo de corpo adequado para as cenas de ação.

Pode notar: ele parece excessivamente inflexível, mesmo com todos os movimentos de câmera e cortes na edição para tentar dar uma maior agilidade nos momentos em que ele precisa lutar.

A história parece mais equilibrada, sem os picos da temporada anterior, mas Luke Cage ainda fica devendo no quesito desenvolvimento de personagens. Assistir ao novo vilão que Cage precisa enfrentar, o Bushmaster, é muito mais agradável do que o lamentável Cascavel, da primeira temporada.

Só que, em comparação, isso não quer dizer muita coisa: ele também peca na falta de sutileza de suas motivações e soa um tanto quanto unidimensional, ou seja, não dá para acreditar que ele seja realmente um grande perigo para o herói.

Ainda há muito a melhorar

Tirando tudo isso, os roteiros dos episódios na segunda temporada parecem um pouco mais conexos, fazendo sentido entre um e outro e não uma bagunça esparsa como em sua antecessora.

Conseguimos entender o começo, o meio e o fim da temporada, sem precisar recorrer à internet ou a teorias de conspiração que na verdade eram só uma falta de unidade entre os roteiristas. Enfim, conseguimos entender quem é Luke Cage e quais são seus reais poderes.

Acontece que, conhecendo o personagem e seu potencial, vamos sempre esperar mais dele. Mesmo com avanços, como a entrada do pai de Luke para injetar uma camada de drama muito bem vinda para oxigenar o ambiente, a série Netflix Luke Cage demonstra ser um claro projeto ainda em desenvolvimento. Ao final, esperamos que ele se desenvolva e se mostre o personagem carismático que ele sempre ameaça ser – mas nunca chega a desabrochar.

Não se sabe se é um problema da atuação, do roteiro, ou da direção. Mas é bem claro, nessa segunda temporada da série, que ela ainda tem um longo caminho até chegar a uma solução cristalina e bem definida, onde finalmente possamos torcer sem receios para o herói e maldizer o vilão.

Trailers e informações de Luke Cage Netflix

Sinopse 1: à prova de balas, ele encara a corrupção do bairro, gangues e seus próprios fantasmas.

Sinopse 2: Um ex-presidiário com pele indestrutível luta para limpar seu nome e salvar o bairro onde vive. Ele não queria confusão, mas a população precisava muito de um herói.

Idioma: dublado (com opção de áudio original em inglês e legendas em português);

Total de episódios (na data deste post): 2 temporada com um total de 26 episódios de aproximadamente 55 minutos cada;

Classificação etária: 16 anos;

Ano de lançamento: 2018;

Gênero: Drama, Super-poderes, Ação;

Compartilhe
Convidado

Este é um artigo enviado por um convidado do site.

Publicado Por