Longas e Curta-metragens

Maniac Netflix: Crítica da série (com Trailer Dublado)

A nova série Netflix Maniac chegou de surpresa, e sua divulgação não teve muito alarde. Mas só pelos nomes envolvidos ela já tinha, obrigatoriamente, um lugar de destaque entre os lançamentos originais da plataforma para 2018.

Com a estreia da produção, podemos acompanhar que, de fato, ela não erra em nada: a série é uma viagem pela mente de duas pessoas que possuem sérios problemas mentais. Porém, não há nada de chato ou monótono: é uma viagem lisérgica – e por isso mesmo, fenomenal.

Os dez episódios de Maniac Netflix trazem, provavelmente, as melhores atuações da carreira de Emma Stone e Jonah Hill. E dizer isso pode ser até mesmo arriscado, visto que a ficha corrida dos dois é extensa: ela já venceu um Oscar de Melhor Atriz por “La La Land – Cantando Estações”. Ele já recebeu duas indicações como Coadjuvante em “O Homem que Mudou o Jogo” e “O Lobo de Wall Street”.

Ainda assim, é possível afirmar que, aqui, eles entregam o melhor resultado em termos de atuação. Você vai descobrir o por quê.

Duas mentes insanas

A série mostra como Annie e Owen, personagens de Stone e Hill, acabam parando em uma clínica onde serão cobaias de um experimento farmacêutico. Eles sofrem com problemas psicológicos, e se oferecem para testar uma nova droga, e nós, espectadores, acompanhamos o que se passa na cabeça dos dois enquanto atravessam esse período de três dias.

E essa narrativa, completamente fora de ordem, é acompanhada como se estivéssemos assistindo, na maioria do tempo, ao que acontece na cabeça dos dois.

Assim, vemos a variação de personas que cada um assume dentro de seus delírios, ao mesmo tempo em que também vemos como é a vida real de cada um deles. Mas é preciso ter cuidado: quem não prestar atenção pode confundir o que é realidade e o que é fantasia, pois os dois tipos de cena são filmados como se não houvesse distinção entre elas, justamente para dar um nó na cabeça de quem assiste.

Essa é a grande jogada, e é sensacional.

Quando estão sob o efeito das drogas em teste, Annie e Owen assumem diversas personas, cada uma sendo mais bizarra que a outra. A linha temporal de uma série comum é completamente apagada, e nós transitamos na mente dessa dupla livremente. As fantasias vão desde assassinos profissionais até uma linha narrativa em que se envolvem com… um lêmure.

É muito talento envolvido

Pois é. Se parece estranho para você, que está lendo esse texto agora, imagina para quem está assistindo isso pela primeira vez. A série Netflix Maniac é um mergulho profundo na mente desses desajustados, e que proporciona uma das melhores experiências audiovisuais do ano.

Além do casal principal, que está simplesmente fantástico e já dispara para a disputa de Emmys no ano que vem, Maniac ainda tem a vantagem em sua direção: Cary Joji Fukunaga, responsável pela primeira temporada (assombrosa) de “True Detective”, comanda todos os episódios. Seu talento é inegável e ele faz jus a sua reputação: nada soa forçado ou fora do lugar, apesar da aparente confusão com o enredo que entra e sai da cabeça dos protagonistas.

Isso sem contar astros como Sally Field encarnando três personagens.

Maniac é o tipo de série que não se pode perder de jeito nenhum. Com tantos talentos envolvidos, o resultado final é simplesmente arrebatador. É o momento de glória para a Netflix, que com tantas obras descartáveis lançadas nos últimos anos, encontra aqui um produto de altíssima qualidade.

Leia também: Como você é conquistado logo no início de uma narrativa.

Trailer e informações da série Netflix Maniac

Sinopse 1: Uma droga experimental promete tratar problemas da mente sem efeitos colaterais. Mas nem tudo ocorre como planejado.

Sinopse 2: Dois desconhecidos se aproximam durante o teste de uma nova droga farmacêutica controlado por um médico com seus próprios traumas e um computador emocionalmente complexo.

Gênero: Humor, Psicodélico;

Compartilhe
Convidado

Este é um artigo enviado por um convidado do site.

Publicado Por