Poemas e Games 005: “Contei meus anos e descobri” de Mário de Andrade – Never Alone

O jogo “Never Alone” traz uma proposta diferente ao mesclar game e documentário. E é claro que não perderíamos a oportunidade de fazer um vídeo Poemas e Games, utilizando  as belas imagens do jogo. Confiram:

[blockquote]

Poema: Contei meus anos e descobri/O valioso tempo dos Maduros (Mário de Andrade)
Voz: Antônio Abujamra
Gameplay: Never Alone
Musica: Richard Clayderman – Marriage d’Amour

[/blockquote]

 

Contei meus anos e descobri (o valioso tempo dos maduros)

Contei meus anos e descobri que tenho menos tempo para viver daqui para frente do que já vivi até agora. Tenho muito mais passado do que futuro. Então, já não tenho tempo para lidar com mediocridades.

Não quero reuniões em que desfilam egos inflamados.

Inquieto-me com invejosos cobiçando o lugar de quem eles admiram.

Já não tenho tempo para conversas inúteis sobre vidas alheias que nem fazem parte da minha.

Já não tenho tempo para administrar melindres de pessoas idosas, mas ainda imaturas.

Detesto pessoas que não debatem conteúdos, mas apenas rótulos!…

Quero viver ao lado de gente que sabe rir de seus tropeços, não se encanta com triunfos, não se considera eleita antes da hora, não foge de sua mortalidade.

Quero caminhar perto de coisas e pessoas de verdade.

Apenas o essencial faz a vida valer a pena.

E para mim, basta o essencial!

 

Mário de Andrade

 

 

Mais Artigos

Sobre o Autor

Administrador do blog Interprete-me, Jerry D. Blodgett tem paixão pela literatura subjetiva e os estudos da filosofia e psicologia. Sempre que possível, faz pontes entre a reflexão interior e o entretenimento.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.