Entretenimento

Os Favoritos de Midas Netflix: crítica e ponto negativo (2020)

Os Favoritos de Midas é uma série Netflix produzida na Espanha, e que tem contribuído com alguns sucessos para o catálogo da empresa como La Casa de Papel e Vis a Vis (assista aqui).

Aqui, encontramos um tipo de história que flerta com o absurdo, mas esconde uma crítica social que nem sempre acaba sendo bem compreendida.

Do que se trata a série Os Favoritos de Midas Netflix

A história gira em torno do empresário Victor Genovés (Luis Tosar), que é bastante influente na Espanha e também conhecido por ser um “tubarão” nos negócios: sua tarefa é sempre “engolir” os adversários, atacando impiedosamente. Acostumado com pressões de todo tipo, um dia ele começa a sofrer uma chantagem diferente: se ele não pagar uma enorme quantia em dinheiro para um grupo chamado Os Favoritos de Midas, eles matarão uma pessoa ao acaso.

A princípio ele fica cético a respeito da situação. Mas Victor começa a notar que o tal grupo está falando muito sério ao cumprir sua ameaça. Dessa forma, eles pressionam o empresário para entregar o dinheiro em um local e uma determinada por eles; caso contrário, mais mortes cairão sobre seus ombros.

O dilema moral é a espinha dorsal da série Netflix Os Favoritos de Midas. A história é baseada em um conto escrito pelo famoso escritor norte-americano Jack London, adaptado aos dias atuais e levando a história para a Espanha. A produção ficou a cargo de Mateo Gil, que co-escreveu o roteiro da série ao lado de Miguel Barros. Nesse sentido, a série funciona ao propor uma reflexão sobre a consciência coletiva (ou a falta dela).

A crítica social em Os Favoritos de Midas

Na Madrid onde a série Netflix Os Favoritos de Midas se passa, a sociedade está em ebulição. Vários protestos marcam todos os pontos da cidade, com a população insatisfeita com as crises econômicas e crescente desigualdade social.

Os produtores aproveitaram para mandar uma “indireta” para o governo espanhol atual, já que esses mesmos problemas são vistos naquele país que no passado já foi visto como um dos mais avançados da Europa.

Apesar de colocar a história em “um futuro próximo”, o enredo não nega o retrato atual de um país profundamente dividido.

Problemas da série Netflix Os Favoritos de Midas

No entanto, Os Favoritos de Midas Netflix encerra nesse ponto suas qualidades. Infelizmente, a direção e o enredo acabam se perdendo demais na seriedade da história, chegando ao ponto de transformar o personagem principal, Victor, em um sujeito completamente apático quando, na verdade, deveria mostrá-lo como um predador.
O ator, Luis Tosar, que sempre foi conhecido por papéis fortes, está abaixo das expectativas e o mostra como um homem completamente sem sal, tornando difícil crer em sua tortura moral.
Além disso, a produção espanhola Os Favoritos de Midas força um romance completamente improvável entre Victor e Mónica Báez (interpretada por Marta Belmonte). A história dos dois não avança em nada a história principal, e ainda tem o defeito de exagerar nas cenas que deveriam ser mais quentes, mas que soam tão apáticas quanto o resto.
O roteiro de Gil e Barros também tropeça ao não dar nenhuma profundidade aos personagens, sejam principais ou coadjuvantes. Nenhum deles consegue convencer na história utópica – e em casos como esse, é preciso contar com uma boa linha narrativa para “convencer” o espectador de um enredo que, no mundo real, dificilmente aconteceria. Não há suspensão da descrença, e isso coloca o trabalho inteiro a perder.
No fim das contas, a série Netflix Os Favoritos de Midas termina como uma série preguiçosa, que começa com um bom enredo mas se auto-sabota em não desenvolvê-lo como merecia. É uma pena que tantos talentos tenham sido desperdiçados em uma trama tão rasa quanto um pires.

Sinopse e Ficha Técnica da série Netflix Os Favoritos de Midas

Lançamento Netflix: 13 de Novembro de 2020;

Direção e roteiro: Mateo Gil, Miguel Barros, Arantxa Cuesta, David Muñoz. Baseado em conto de Jack London;

Sinopse Netflix: Um editor milionário enfrenta um dilema sinistro que coloca em jogo a vida de muitas pessoas em Madri. Inspirada no conto de Jack London.

Duração dos episódios: aproximadamente 50 minutos;

País de Origem: Espanha;

Classificação etária: 16 anos;

Gênero: Suspense, Drama, Policial.

Você também poderá se interessar por 8 em Istambul, Inacreditável Esporte Clube, Justiça em Julgamento, Uma Invenção de Natal, Rosa e Momo e Aunty Donna Barraco da Diversão.

Compartilhe
Luiz Henrique Oliveira

Nascido em 1986, editor-chefe no Cenapop, colunista no Interprete.Me, redator no UOL e youtuber no Cinco Tons.

Ver comentarios

  • Nunca vi uma crítica tão fora da realidade. Só não gosta da série aquele que desconhece a obra de Nietzsche - A Genealogia da Moral. Os Favoritos de Midas não é um pastelão recheado de ações e necessidade de forçar a realidade para a realidade. Antes de tudo é uma reflexão filosófica com viés das nuances humanas. A apatia sugerida pelos personagens é justamente o exercício da falta de empatia pelo outro. Nesse contexto Os Favoritos de Midas me parece genial. Falta na verdade, para os buscam pela coerência e ações espetaculares de uma série à la teste cardíaco, um pouco de conteúdo existencial ou melhor dizendo, um pouco de Moral do Senhor ou Escravo. Nota 10 para Os Favoritos de Midas.

  • Perdi meu tempo com esta série, que não tem final, nem continuação. Você espera saber quem está por trás da trama toda e te deixam no vácuo. Detestável...