Longas e Curta-metragens

Safe Netflix: Crítica da série de Harlan Coben

Muita gente apostava as suas fichas na série Netflix Safe (do autor bestseller Harlan Coben), por se tratar do novo trabalho do celebrado Michael C. Hall (conhecido por ter protagonizado a série “Dexter”). Havia até uma expectativa a respeito de Safe mas que, no fim das contas, provou-se apenas ser mais do mesmo.

É bom já deixar isso claro logo nas primeiras linhas: Safe não traz nada de novo, apesar da inegável competência dos envolvidos.

O problema está em uma palavra: previsibilidade. É possível saber todos os passos de todos os personagens, adivinhar o que está por vir, quem são os envolvidos, etc. Já assistimos tudo isso antes em dezenas de produções anteriores. Portanto, por mais que seja muito bem fotografada e dirigida, Safe Netflix não traz nada de novo e isso causa uma enorme frustração quando finalmente acaba.

Uma Safe zone (zona de conforto)

A série Netflix Safe começa com o desaparecimento de uma garota, e um pai dedicado a encontrá-la custe o que custar.

Pois é, se você já viu qualquer filme recente do Liam Neeson você já vai ter visto essa história, apesar de um tom mais soturno e sombrio aqui. Michael C. Hall é um grande ator e entra na pele de qualquer personagem, mas depois de “Dexter” demora um pouco para nos acostumar com esse novo personagem.

O que parece, no fim das contas, é que a série é só uma trama normal entre tantas outras que procuram inovar. Apostou na zona de conforto tentando agradar aos aficionados por séries policiais e no fim conseguiu deixar até mesmo esses fãs irritados com a já dita previsibilidade dos acontecimentos.

Faltou um capricho no roteiro de Harlan Coben, para dar ganchos mais interessantes e tirar as situações da mesmice que a gente já viu em outros trabalhos.

Nós, enquanto espectadores, esperamos séries diferentes, com histórias envolventes e que nos prendam e surpreendam. A série Safe faz o oposto disso, nos deixando saber o que virá a seguir com apenas alguns minutos de tela. É uma pena que um esforço tão dedicado de seus profissionais envolvidos na direção, produção e atuação, acabe resultando em um projeto tão mediano.

Fica a dica

É bem provável que Safe não venha a ter uma segunda temporada. Se tiver, será um milagre desses inexplicáveis que só a Netflix é capaz de operar.

Mas, se isso vier a acontecer, é bom que eles pudessem pegar algumas dicas básicas com os próprios espectadores. E olha que há dezenas delas disponíveis, que são básicas em um mundo onde o binge watching* domina – ainda mais a Netflix, que praticamente foi responsável pela popularização do termo.

*Binge watching: Assistir algo compulsivamente, em sequência ininterrupta. Em outras palavras: maratona.

É necessário buscar formas diferentes de se resolver um mistério. Surpreender sempre que possível indicando caminhos que não serão seguidos. Melhorar e dar mais profundidade a personagens “suspeitos” para que eles não se evidenciem logo de cara.

Essas são apenas algumas das melhores dicas que os realizadores desse show podem seguir para dar um rumo melhor à produção. Mesmo que ela de fato não continue, que aprendam para uma próxima empreitada: o público gosta de ser enganado, e entregar a ele enigmas que são resolvidos em poucos minutos só os joga num tédio sem fim.

Trailer e informações de Safe Netflix

Sinopse 1: Neste condomínio de famílias bem-sucedidas e aparência tranquila, todos têm segredos. Uns mais sombrios do que outros.

Sinopse 2: Após o desaparecimento de sua filha mais velha, um cirurgião viúvo faz descobertas terríveis sobre pessoas bem próximas

Idioma: dublado (com opções de áudio original em inglês e legendas em português);

Total de episódios (na data deste post): 1 temporada com 8 episódios de aproximadamente 45 minutos cada;

Classificação etária: 16 anos;

Ano de lançamento: 2018;

Gênero: Drama policial;

Compartilhe
Convidado

Este é um artigo enviado por um convidado do site.

Publicado Por