Longas e Curta-metragens

The Crown Netflix: Crítica da segunda temporada (Trailer Dublado)

Existem muitas coisas sobre a monarquia inglesa que não sabemos, e The Crown Netflix tem nos ajudado a desvendar (assista aqui). Essa história que se passa dentro dos palácios da Inglaterra e conta a história de Elizabeth II, que está até hoje ocupando o trono para aqueles lados.

Mas não é simplesmente a história de uma mulher que vira rainha, mas sim de como mesmo com todo o poder que ela concentra em suas mãos, a sua história pode ser tão comum quanto qualquer outra.

Isso é dito no sentido de que ela, assim como os meros mortais, tem seus problemas familiares, com o marido e com as pessoas em sua volta – os chamados problemas interpessoais. A diferença é que seu marido é o principe-consorte, seus familiares são da realeza britânica e as pessoas à sua volta são os ministros e outros homens poderosos que formam a corte. E como pode se ver nessa segunda temporada, é um fardo pesado, difícil de carregar.

The Crown: Aula de como desenvolver personagens

Essa segunda temporada de The Crown Netflix dá uma aula sobre como desenvolver personagens. Apesar de se basear em uma pessoa real e ainda viva, os produtores e roteiristas certamente tomaram algumas liberdades para trazer Elizabeth II para um outro patamar dentro da história que estão contando.

Dessa vez ela vem enfrentando crises com seu marido Philip, e ainda precisa lidar com todos os problemas do reino, que passa ainda pelo período do pós-guerra. Apesar de ser a mesma atriz que interpreta a rainha – Claire Foy – o seu desenvolvimento da parte anterior para esta é notável e isso é uma vitória da equipe como um todo: começando pela atriz e indo até o diretor.

Claire Foy, uma intérprete excelente, não se deixa intimidar e escancara Elizabeth II ao público: não só a rainha, mas também a pessoa, que sofre, humilha e se deixa humilhar dentro de seu relacionamento. E também é notável o desempenho do intérprete do príncipe Philip, Matt Smith. Por causa dele, certamente o homem (que também está vivo) está sendo mal-visto por todo o mundo, dado o sofrimento que ele causou à Elizabeth.

Mas essa comoção só é possível por conta do intérprete (que precisa mesmo ser excelente) e por conta do roteiro, que faz com que a jornada que acompanhamos tenha sentido e lógica, para que possamos torcer por uma e repudiar o outro sabendo os motivos de todos para agirem da forma que agem.

Uma produção exuberante

The Crown, já na primeira temporada, chamava a atenção para seus figurinos e cenários excelentes, que são obviamente reproduções de lugares reais. Entretanto, a belíssima fotografia também merece destaque: não importa se são cenas em salões fechados ou ao ar livre, tudo é tão belamente filmado que chega a dar pena quando a série acaba. Ela deixa saudades não só pela sua história, mas porque é muito, mas muito bonita de assistir.

Em suma, as temporadas de The Crown são excelentes, e valem a pena conferir, pois essa é uma história que permaneceu escondida atrás dos muros dos castelos ingleses, e que agora ganha vida para saciar a nossa curiosidade.

E sorte a nossa que a história de Elizabeth II é tão cheia de reviravoltas, dramas e vitórias que seria de se estranhar que ela não virasse mesmo um seriado, e dos bons.

Trailer e informações de The Crown Netflix

Sinopse 1: Dever. Família. Poder. Ainda jovem, ela se torna a soberana de um império durante sua transição para o mundo moderno.

Sinopse 2: Esta série dramática segue a política, rivalidades e relacionamento da rainha Elizabeth II, e os eventos que fizeram a história.

Idioma: dublado (com opção de áudio original em inglês);

Total de episódios (na data deste post): 2 temporada com um total de 20 episódios de aproximadamente 1h minutos cada;

Classificação etária: 16 anos;

Ano de lançamento: 2017;

Gênero: Série dramática, baseada em fatos reais;

Compartilhe
Convidado

Este é um artigo enviado por um convidado do site.

Publicado Por